Parir totalmente deitada implica em riscos


Você já deve ter ouvido falar que as mulheres costumam preferir parir em posições mais verticalizadas (sentadas, acocoradas, em pé ou em quatro apoios, por exemplo). Porém, infelizmente, por muitos anos foi inserida a cultura do parto em posição litotômica (ou comumente conhecida por "posição do frango assado"): aquela em que a mulher fica deitada, com as pernas afastadas e erguidas em estribos. Mas por quê, depois de tantos anos tida como usual e adequada para tantos médicos (e somente para eles), essa posição não é sequer indicada para a fisiologia do parto? Eis a resposta: ficar deitada de costas sem nenhuma flexão do tronco implica que a disposição do útero desafie a força da gravidade. É claramente mais fácil para qualquer objeto cair em direção à Terra do que deslizar em uma superfície paralela à mesma (lembra da Lei da Gravidade de Newton? Olha ela sendo perfeitamente aplicada aqui!). É mais vantajoso fazer um bebê nascer descendo em direção à Terra do que empurrá-lo na linha horizontal, o que desperdiça energia e esforços, originando uma dor desnecessária e aumentando a duração do trabalho de parto.


Nessa posição, inclusive, o expulsivo se desenvolve com uma distensão desigual do tecido perineal, o que pode resultar o aumento do risco de lacerações maiores e certamente o aumento da dor.


Encontrar a posição mais adequada para parir é direito seu, além de fazer muito bem para o seu corpo e para o bom nascimento do seu bebê. Qual foi a sua posição?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Logo LM Branco.png